Empresas Pet, Gestão de Empresas

Ebook sobre Responsabilidade Técnica by Sergio Lobato

Se você veio até aqui é porque está interessado em baixar o Ebook sobre Responsabilidade Técnica, certo? Abaixo coloco um trechinho dele. Caso queira baixar direto, é só ir até o final dessa postagem e se inscrever para recebe-lo diretamente na sua caixa de email. 

O Mercado Pet brasileiro ocupou nos últimos anos uma posição de destaque como um eldorado de crescimento econômico, posição essa divulgada muitas vezes de forma irresponsável pela mídia especializada, o que gerou uma corrida de pessoas ao segmento, inundando o mercado de estabelecimentos pet que sequer tinham condições de oferecer um pacote mínimo de serviços adequados e dentro das normas vigentes.

Os profissionais Médicos Veterinários demonstram possuir enormes lacunas de conhecimento no que diz respeito ao exercício da Responsabilidade Técnica na área de pequenos animais, seja no aspecto da legislação vigente, seja nos fundamentos técnicos, nos conhecimentos e habilidades acessórias ao exercício da função e principalmente na forma de promover a função para o mercado, tornando-a essencial.

Lojistas de todo o país apresentam uma enorme resistência à necessidade de contratação do Responsável Técnico, considerando-o apenas uma obrigatoriedade contratual e não um importante aliado na gestão de seu estabelecimento.

Novas legislações em várias esferas como a NR32 do Ministério do Trabalho e as recentes Resoluções do Conselho Federal exigem um posicionamento técnico que sequer é oferecido na oferta de conhecimento dentro das universidades brasileiras.

Qualificar os profissionais Médicos Veterinários e Acadêmicos interessados em exercer a Responsabilidade Técnica de forma ética, profissional e tornando-os capazes para implementar planos de ação em todos os formatos de estabelecimentos veterinários encontrados no mercado pet nacional é fundamental..e este livro apresenta as primeiras noções desse universo de gestão técnica tão fascinante e primordial para uma Medicina Veterinária cada vez mais profissional.

Quer ler mais? Então se inscreva e receba o ebook completinho na sua caixa de email!

#mc_embed_signup{background:#ffffff; clear:left; font:14px Helvetica,Arial,sans-serif; }
/* Add your own MailChimp form style overrides in your site stylesheet or in this style block.
We recommend moving this block and the preceding CSS link to the HEAD of your HTML file. */

Se inscreva abaixo e receba o ebook em alguns minutos na sua caixa de email:

(function($) {window.fnames = new Array(); window.ftypes = new Array();fnames[0]=’EMAIL’;ftypes[0]=’email’;fnames[1]=’FNAME’;ftypes[1]=’text’; /**
* Translated default messages for the $ validation plugin.
* Locale: PT_PT
*/
$.extend($.validator.messages, {
required: “Campo de preenchimento obrigatório.”,
remote: “Por favor, corrija este campo.”,
email: “Por favor, introduza um endereço eletrónico válido.”,
url: “Por favor, introduza um URL válido.”,
date: “Por favor, introduza uma data válida.”,
dateISO: “Por favor, introduza uma data válida (ISO).”,
number: “Por favor, introduza um número válido.”,
digits: “Por favor, introduza apenas dígitos.”,
creditcard: “Por favor, introduza um número de cartão de crédito válido.”,
equalTo: “Por favor, introduza de novo o mesmo valor.”,
accept: “Por favor, introduza um ficheiro com uma extensão válida.”,
maxlength: $.validator.format(“Por favor, não introduza mais do que {0} caracteres.”),
minlength: $.validator.format(“Por favor, introduza pelo menos {0} caracteres.”),
rangelength: $.validator.format(“Por favor, introduza entre {0} e {1} caracteres.”),
range: $.validator.format(“Por favor, introduza um valor entre {0} e {1}.”),
max: $.validator.format(“Por favor, introduza um valor menor ou igual a {0}.”),
min: $.validator.format(“Por favor, introduza um valor maior ou igual a {0}.”)
});}(jQuery));var $mcj = jQuery.noConflict(true);

Read More...

Empresas Pet, Gestão de Empresas, Marketing Digital, Negócios & Feiras

Vale a pena ter um e-commerce pet?

Muitos empreendedores se perguntam se vale a pena ter um e-commerce pet ou se é melhor seguir vendendo em um espaço físico ou pessoalmente. Afinal, quais seriam as vantagens de uma loja virtual de produtos e serviços para animais de estimação?

Os números do e-commerce no Brasil seguem crescendo, apesar da crise econômica. Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, o setor espera faturar R$ 59,9 bilhões em 2017, 12% a mais do que no ano anterior.

As estatísticas refletem, entre outros fatores, mudanças de comportamento de muitos consumidores. A comodidade da compra on-line é um dos principais atrativos para os clientes, que, além não precisar sair de casa, podem, com poucos cliques, comparar diversos produtos e serviços pet.

Além de atender a essas novas demandas, empreendedores pet que investem em e-commerce se beneficiam de uma série de facilidades. Confira:

1- Baixos custos

Um dos principais custos para quem tem um pet shop, por exemplo, é o aluguel da loja. A manutenção constante do espaço físico também gera gastos que, no fim do mês, fazem muita diferença. Ao investir em um e-commerce pet, por outro lado, você só precisa se preocupar com o lugar para estocagem. Dependendo do porte do seu negócio, pode ser até mesmo um cômodo da sua residência.

2- Funcionamento 24h por dia

O e-commerce pet possibilita que seu negócio receba pedidos a qualquer momento. Com isso, diversos consumidores que não poderiam ir à loja física, por incompatibilidade de horários, têm a oportunidade de comprar o que você vende.

3- Independência de feiras e eventos

Muitos empreendedores do mercado pet oferecem seus produtos apenas em feiras. Esta situação traz diversos empecilhos ao negócio, pois as vendas acabam sendo muito irregulares. Em várias ocasiões, o empresário perde a viagem, ao gastar dinheiro com o deslocamento e permanência em um local onde há pouca gente interessada em comprar. Quem tem um e-commerce pet, por outro lado, continua podendo participar de eventos para divulgar sua empresa, mas deixa de depender deles.

4- Promoções mais eficientes

Lojas virtuais oferecem muito mais elasticidade para fazer promoções. É possível, por exemplo, criar ofertas relâmpago, divulgadas nas redes sociais e por e-mail marketing. Dessa forma, você gera engajamento e aumenta a percepção da sua marca. O e-commerce também permite que você colete dados dos clientes muito mais facilmente. Com essas informações, fica fácil oferecer descontos especiais para determinados consumidores, baseando-se nas preferências deles.

5- Facilidade para criar seu e-commerce pet

Não é preciso ser um expert em informática ou contratar um desenvolvedor profissional para criar sua loja virtual. Existem diversos sites, como o Mercado Livre e até o próprio Facebook, que permitem a venda de produtos por qualquer pessoa.

Aqui na Adorável Criatura, estamos desenvolvendo uma plataforma totalmente pensada para o e-commerce pet. Nela, o empreendedor terá todas as facilidades para mostrar seus produtos e serviços e divulgá-los para seu público-alvo.

Fique ligado no nosso blog e redes sociais para mais novidades!

Read More...

Empresas Pet, Gestão de Empresas

Estabelecimentos veterinários: como planejar o layout

Em um país tão grande e diverso como o Brasil, é natural que encontremos grande variedade quando se trata de layout de estabelecimentos veterinários.

Clínicas, consultórios, hospitais, centros especializados, pet shops, agropecuárias, salões de banho e tosa, entre outros, compõem este cenário multifacetado.

Tamanha multiplicidade tem seu lado positivo, mas também pode trazer problemas. Por um lado, esta situação demonstra a criatividade do empreendedor brasileiro, capaz de abrir seus estabelecimentos veterinários em diferentes tipos de imóveis. Por outro, revela um crescimento desordenado, favorecido pela ausência de normatização adequada ao caráter plural do Brasil. Soma-se a isto a irresponsável complacência de várias esferas de fiscalização do setor, em especial as que deveriam atestar as condições mínimas de funcionamento de cada empresa.

Consumidores mais exigentes

Os donos de estabelecimentos veterinários enfrentam, atualmente, um cenário composto por diversas forças. Uma das mais importantes é a demanda dos clientes por um layout mais bem trabalhado. Hoje, os consumidores incluem a avaliação das instalações físicas na análise global da empresa.

Não basta mais apenas oferecer serviços de qualidade, é preciso ter uma ambientação clean e garantir o claro cumprimento das legislações da Anvisa e do Ministério do Trabalho. O cuidado com a aparência do seu negócio é, mais do que nunca, um diferencial competitivo no mercado pet.

Leia também: Clínicas veterinárias: como vencer a desconfiança

Cada vez mais empreendedores sentem a necessidade de buscar informações em outros universos. Conceitos de decoração e arquitetura, por exemplo, são essenciais para adaptar os estabelecimentos veterinários à realidade atual.

Desafios ao planejamento

A tendência mais em voga tem sido a busca por uma ambientação “hospitalar” nos estabelecimentos de saúde veterinários. Esta adequação, porém, chega a ser um grande desafio. Muitos responsáveis técnicos desconhecem completamente os requisitos básicos de biossegurança e logística interna.

Existem estabelecimentos veterinários funcionando em locais que jamais seriam utilizados por profissionais de saúde humana. Trata-se de ambientes nos quais médicos e enfermeiros  se recusariam a trabalhar, dada a péssima qualidade das instalações.

A necessidade de separar os estabelecimentos e classificá-los também se faz presente. Ainda mais quando lembramos que, no Brasil, não existe uma definição legal de âmbito nacional que defina o que é um pet shop, por exemplo.

Nos estabelecimentos comerciais, o grande desafio é o uso racional do espaço. Neste sentido, é preciso privilegiar os itens de maior margem de contribuição e garantir espaço de estoque adequado. Atender às normas para instalações de funcionários também é fundamental.

Em todos os estabelecimentos veterinários, é necessário, ainda, seguir os preceitos básicos da comunicação empresarial. Isso inclui escolha adequada de cores, uniformes e letreiros por exemplo. Estes itens serão fundamentais na criação e fixação da marca junto ao seu público consumidor.

A contratação de uma consultoria para realizar todas essas adequações é um caminho natural para empreendedores que desejem mais segurança.

O segredo do sucesso de estabelecimentos veterinários

Se você gostou das dicas deste post, não deixe de baixar o e-book exclusivo Como ter um negócio de sucesso no mercado veterinário. Elaborado pela Sergio Lobato Assessoria e Consultoria, em parceria com a Adorável Criatura, têm tudo que você precisa para planejar suas estratégias e ter sucesso no mercado pet.

Deixe seus comentários, sugestões e dúvidas aqui embaixo!

Read More...

Empresas Pet, Gestão de Empresas

Como administrar seu pet shop: confira 10 dicas

Como administrar seu pet shop em um mercado tão competitivo? Como fazer para que ele se diferencie da concorrência?

Entrando na moda das “10 coisas necessárias para atingir um objetivo”, preparei uma pequena lista de atitudes que podem ajudar você a administrar seu pet shop da melhor maneira possível. Vamos conhecê-las?

1 – Faça um balanço do ano que passou

Coloque na ponta do lápis todas as informações possíveis sobre os acontecimentos do último ano. Para administrar seu pet shop, é necessário conhecer o movimento da loja de forma individualizada. Cada estabelecimento tem suas peculiaridades e seu jeito de ser uma entidade geradora de renda.

2 – Faça um inventário

Realize um levantamento de tudo o que seu pet shop possui. A lista inclui estoque, mobiliário, material de uso diário na tosa, material de limpeza, material de propaganda e etc.

Leia também: Como melhorar a gestão de sua clínica veterinária

Um dos maiores erros que percebo na administração de pet shops é a falta total de controle em relação a esses itens. Essa negligência gera um gasto desnecessário, além de impedir o planejamento dos investimentos.

3 – Avalie seu relacionamento com os clientes

A opinião dos consumidores é fundamental para orientar os rumos da administração de um pet shop. Afinal, são eles que geram riquezas para o seu estabelecimento. Faça uma pesquisa de satisfação entre seus clientes e, sempre que possível, converse com eles. Pergunte o que acham dos serviços prestados por sua equipe e se têm alguma sugestão.

Cuidar do relacionamento com os clientes é fundamental para administrar seu pet shop.

Cuidar do relacionamento com os clientes é fundamental para administrar seu pet shop.

4 – Repense a divulgação do seu pet shop

Como foi sua estratégia promocional no decorrer do ano que passou?  Você está presente na lembrança de seu cliente? Acredite, esconder-se é a pior estratégia. Na escuridão, quem aparece é o farol, aquele que sinaliza o caminho. Pense em como você pretende ser esse farol no mercado pet e como administrar seu pet shop para colocá-lo nessa direção.

5 – Alinhe sua equipe

Tenha conversas francas com seus funcionários, para verificar como anda o clima interno do seu pet shop. A sua equipe é a linha de frente de seu serviço, e saber reconhecer esse esforço é fundamental.

6 – Invista em treinamentos

Conhecimento nunca é demais no mercado pet. Por isso, encare o investimento em treinamentos como uma constante. Tanto você quanto sua equipe devem estar sempre atualizados. Afinal, o saber é algo que melhora a administração em todos os níveis.

Investir em treinamento é muito importante para a administração do seu pet shop.

Investir em treinamento é muito importante para a administração do seu pet shop.

7 – Certifique-se de que seu pet shop está regularizado

Faça um pente-fino e verifique se seu estabelecimento está cumprindo as exigências legais que o segmento exige. Nada pior do que se ver tendo que dispor de recursos para pagar multas e, com isso, não ter como reinvestir na loja.

8 – Faça as melhorias estruturais necessárias

Inspecione as instalações do estabelecimento, cheque a infraestrutura e observe se melhorias devem ser feitas. Não é mais o tempo de lojas que parecem que vão desabar ao menor toque ou que têm odores insuportáveis. Os consumidores buscam segurança, higiene, conforto e bem-estar, e as condições materiais do pet shop devem ser parte central da administração.

9 – Pense como cliente ao administrar seu pet shop

Olhe o seu negócio com olhos de consumidor e seja mais estratégico da administração. Foque em resultados a partir de trabalho real e não com base em estimativas e índices de mercado. O conhecimento que você tem é seu grande valor e sua grande arma, lembre-se disso!

Conheça o ritmo de compra, os perfis de seus consumidores e os produtos e serviços de que o mercado dispõe. Assim, você será capaz de estabelecer a melhor relação custo-benefício para o seu próprio negócio.

10 – Trabalhe com seu responsável técnico

Não tenha medo de exigir de seu responsável técnico uma boa performance. Afinal, é para isso que ele é pago! Não acredite que fazer vacinação aos sábados em cima de saco de ração é trabalho profissional; ele deve ser um consultor de negócios para você!

Garanto que, se você seguir essas dicas, terá um novo começar no decorrer do ano de 2017!

Assumir as rédeas de seu negócio é uma grande responsabilidade, mas, certamente poderemos encontrar o melhor caminho.

Vamos juntos?

Read More...

Empresas Pet, Gestão de Empresas

Produtos e serviços de nicho? O que são?

O mercado pet, hoje, apresenta características que chamam a atenção de vários periódicos de economia e de marketing. Produtos e serviços de nicho ganham cada vez mais destaque.

O crescimento gradual e constante tem sido apontado como a justificativa para que empreendedores oriundos de vários segmentos invistam suas economias e abram pet shops. Essa realidade, no entanto, tem se revelado uma armadilha para centenas de lojas, que sequer completam um ano de existência.

Confira: Mercado pet: na mídia mais uma vez!

Muitas delas são criadas sem o menor conhecimento técnico sobre o mercado, outras apresentam problemas sérios de gestão. Há, também, as que são prejudicadas por um total despreparo emocional por parte de seus proprietários. Grande parte dos empresários se esquece de que trabalhar faz parte do planejamento para atingir o sucesso.

O mercado pet apresenta características muito peculiares, que são ignoradas por grande parte desses investidores e por muitos dos lojistas que já estão há algum tempo buscando melhorar a performance de seus estabelecimentos. Trata-se de uma miopia de marketing muito comum nos dias de hoje e muito perigosa. Aliada a ela, há uma grande dose de sentimento de autossuficiência, que pode levar a erros de gestão e posicionamento.

Uma dessas características recentes do mercado pet é o caminho natural pela segmentação. É aí que entram os produtos e serviços de nicho.

O que são produtos e serviços de nicho?

O mercado pet é um mundo macro. Dentro dele, existem vários segmentos, como, por exemplo, médicos veterinários, tosadores e lojistas. Dentro de cada segmento, temos as especialidades, ou seja, os nichos, aquelas áreas com comportamento e características muito específicas.

Um dos melhores exemplos de nicho é o crescente mercado felino, onde produtos e serviços destinados aos consumidores proprietários de gatos são disponibilizados em uma escala muito mais intensa do que há alguns anos.

Leia também: Cat Day oferece conteúdo para Cat Lovers e é sucesso

Conhecer e comercializar produtos de nicho e atuar em segmentos de nicho exige muito dos empreendedores do mercado pet. O posicionamento do empresário precisa ser mais apurado e estratégico. Ele deve estar atento a conceitos como exclusividade, atenção, segurança, responsividade, superação de expectativas, estilo e diferenciação.

Como lidar com consumidores de nicho?

O comportamento dos consumidores de nicho exige muita qualificação, visto que essas pessoas são parte de um grupo muitas vezes mal dimensionado e esquecido nas estratégias operacionais, promocionais e gerenciais do mercado pet como um todo.

São consumidores que desejam um atendimento diferenciado, pois chegaram ao ápice da especialização de suas necessidades. Seus desejos, muitas vezes, não encontram eco no mercado e se retraem, causando um comportamento oposto ao esperado.

Ou seja, o consumidor de serviços e produtos de nicho, muitas vezes, passa a comprar baseando-se apenas no seu próprio processo decisório. Nesses casos, o cliente não age mais sob a interferência do prestador de serviços ou do vendedor de produtos, pois todas as ofertas passam a ser encaradas como um possível desvio da relação de confiança desejada.

O fundamental, ao se trabalhar com nichos, é conhecer a fundo o público-alvo antes de começar a tentar vender. Dessa forma, é possível criar estratégias eficientes de promoção, divulgação e atendimento para grupos bem específicos de consumidores.

Como você encara a oferta de produtos e serviços de nicho? Deixe suas dúvidas e comentários aqui embaixo, e mãos à obra!

Read More...

Empresas Pet, Gestão de Empresas, Marketing Digital

Por que divulgar sua empresa pet na internet?

Construir um negócio de sucesso no mercado de animais de estimação é o sonho de muitos empreendedores. Apesar de haver inúmeras oportunidades nesta área, a concorrência também é grande. Divulgar sua empresa pet na internet é essencial para atrair o máximo de clientes e se diferenciar dos competidores. Confira alguns benefícios:

  1. Mais clientes em potencial
  2. Grande parte dos empreendedores pet acha que o boca a boca é uma boa forma de divulgação. Um dos grandes problemas desta crença é que você não tem como prever a velocidade com que sua empresa ganhará fama. Alguns clientes podem adorar seus produtos e serviços, mas não ter conhecidos para quem indica-los, por exemplo.

    O mais comum é que esse crescimento da clientela seja muito lento e não gere o retorno esperado pelo empresário. Divulgar sua empresa pet on-line, por outro lado, permite que você atinja um público ilimitado. Com a estratégia correta, é possível tonar seu negócio conhecido por um grande número de pessoas em pouco tempo.

  3. Segmentação do público
  4. Nenhum negócio tem como público-alvo todas as pessoas. Se você produz alimentos para cachorros, não adianta divulgar sua empresa pet para donos de gatos. Ao promover sua marca na internet, é possível segmentar a audiência, tornando o processo mais eficiente.

    Essa segmentação do público ocorre de duas formas principais. A primeira é por meio das palavras-chave usadas no site ou blog da sua empresa. Você pode, por exemplo, estruturar suas páginas on-line ao redor de termos como “clínica veterinária no Rio de Janeiro”. Com isso, quem encontrar o seu site a partir de uma busca no Google já estará procurando justamente o serviço oferecido.

    A segunda forma de segmentar o público é ao fazer anúncios. Se nas mídias tradicionais (como jornais e TV) você paga sem saber muito bem quem irá atingir, na internet é diferente. A tecnologia permite que suas propagandas apareçam para grupos demográficos bem específicos. É possível divulgar sua empresa pet para mulheres entre 20 e 30 anos, que morem em São Paulo e se interessem por gatos, por exemplo.

  5. Gastos mais eficientes
  6. Grande parte da divulgação on-line da sua empresa pet pode ser feita gratuitamente. Com estudo e dedicação, é possível atrair muitos clientes sem gastar nada. No entanto, eventualmente vale a pena investir em propaganda na internet, seja para incrementar seu alcance, seja para fazer uma promoção especial.

    Neste ponto, os gastos com publicidade são muito mais eficientes do que os da mídia tradicional. Além da segmentação, que comentamos no ponto anterior, outro fator contribui para isso. Grande parte dos anúncios feitos na internet só é cobrada por clique. Ou seja, você só paga quando alguém realmente entra no seu site ou blog.

  7. Mais chances de fidelizar os clientes
  8. É muito mais barato fidelizar um cliente do que conquistar um novo. A fidelização é um processo que passa pela satisfação do freguês tanto com a compra quanto com o atendimento. A pessoa precisa se sentir valorizada para se tornar fiel à marca.

    Divulgar sua empresa pet na internet pode contribuir muito para este relacionamento. Em seu blog ou redes sociais, você tem a chance de oferecer conteúdo útil e interessante para seus clientes. O site de um pet shop, por exemplo, pode tirar dúvidas sobre a frequência de banhos e tosas.

    Postagens deste tipo também podem ser enviadas por e-mail, garantindo que seus clientes vejam sua empresa pet como uma parceira. Com o tempo, essas pessoas tendem não apenas a se fidelizar como a se tornar promotoras espontâneas da sua marca.

Como divulgar sua empresa pet na internet?

Se você quer saber mais sobre como entrar no mundo virtual com sua empresa pet, confira esta matéria que preparamos. Nela, abordamos alguns pontos básicos sobre divulgação on-line. É uma ótima forma de você começar a se informar para planejar sua estratégia de comunicação.

Fique ligado no blog da Adorável Criatura para mais dicas sobre Inbound Marketing. Aprenda a gerir redes sociais, criar ótimos posts, planejar campanhas de e-mail marketing e muito mais.

Read More...

Empresas Pet, Gestão de Empresas

Clínicas veterinárias: como vencer a desconfiança

Nos últimos tempos, as mídias sociais foram inundadas por publicações nas quais denúncias contra clínicas veterinárias e profissionais que nelas trabalham são feitas por vários proprietários de animais de estimação. São diversas reclamações, muitas válidas, outras completamente fora da realidade.

Leia também: Como melhorar a gestão de sua clínica veterinária

Como entender o que está acontecendo no cenário das relações entre proprietários de animais de estimação e clínicas veterinárias? Como encontrar o equilíbrio nesse cenário de cabo de guerra, que tenho visto com frequência no universo virtual e no dia a dia de veterinários por todo o Brasil?

Diálogo e Posicionamento

Vejo muitos proprietários reclamando do valor de serviços veterinários. Algumas pessoas esperam que suas responsabilidades sejam aceitas e absorvidas por terceiros, no caso, os médicos veterinários, que deveriam “trabalhar por amor” .

Em contraponto, há profissionais que precisam atentar para a qualificação de seus exercícios diários nas clínicas veterinárias. Deveriam estudar e se aperfeiçoar cada vez mais, mas, ao invés disso, param no tempo. Não usam todo o conhecimento em constante produção e, com isso, não podem oferecer sempre as melhores opções em tratamentos e exames complementares. Consequentemente, o objetivo principal, a saúde e o bem-estar dos animais, fica prejudicado.

Outra discussão se dá quando proprietários dizem que são passados exames demais, e não se chega a nenhum diagnóstico. Essas pessoas creem que as clínicas veterinárias deveria ser “soberana”. Questiono se essa não seria uma posição um pouco retrógrada. Quando não existiam ferramentas de diagnóstico para auxiliar os veterinários, o empirismo, em muitas situações, causava erros de conduta.

Por outro lado, como anda a formação de nossos colegas médicos veterinários, que parecem buscar especialidades mais em voga como, Intensivismo e Emergência? Sabem fazer uma boa anamnese e uma boa consulta clínica? Onde está a lacuna que gera essa sensação de desconfiança nos nossos clientes?

Percepção de valor sobre as clínicas veterinárias

A percepção de valor por parte do cliente é uma conta básica e simples:

Ambientação

Como está o design da clínica veterinária? O ambiente está limpo e organizado?

Entrega do Serviço

O médico veterinário explica realmente bem? Será que ele chega a um diagnóstico? Ao encontrar dificuldades, deixa claro que procurará auxílio?

Apresentação Pessoal

Como está a vestimenta da equipe? Como o veterinário se veste?

Responsabilidade compartilhada

Clínicas veterinárias devem compartilhar a responsabilidade pelo animal de estimação com o cliente

Clínicas veterinárias devem compartilhar a responsabilidade pelo animal de estimação com o cliente

Há, ainda, uma fragilidade na relação entre proprietário e veterinário, pois um erro muito comum acontece:

O péssimo hábito do profissional de não compartilhar a responsabilidade do tratamento com o proprietário. O veterinário assume, muitas vezes, uma postura de salvador da pátria, de super-homem, achando que, agindo assim, conquistará a confiança do cliente.

Recomendo que suas atitudes mudem. Ao criar mais este elo de compartilhamento de direitos e deveres, os problemas de questionamentos, distanciamento e repulsa podem ser evitados.

O proprietário de animal de estimação deve, na sua posição de consumidor, questionar, sim, seu profissional. Mas também é preciso ser correto e entender que a relação é uma via de mão dupla.

Conversem, sejam francos e, claro, lembrem-se de que essa é uma relação de consumo, baseada em direitos e deveres. Ao mesmo tempo, no entanto, existe, no meio desse cabo de guerra, mais do que seus egos e suas psiques. Existem vidas de seres que não pediram para serem cuidados por vocês, mas que, a partir do momento em que estão sob sua tutela e sob sua responsabilidade, merecem o melhor que ambas as partes podem dar.

Qualificação e posicionamento por um lado, respeito e dedicação por outro lado. Nossos animais agradecem!

Read More...

Empresas Pet, Gestão de Empresas

O monge e o médico veterinário

Há algum tempo, o autor James Hunter vendeu mais de 2 milhões de exemplares em todo o Brasil. A obra fez muitos segmentos profissionais, incluindo o médico veterinário, questionarem suas posições e posturas nas relações entre chefes e equipes de trabalho.

O livro conta duas histórias. A primeira é a de um empresário famoso que abandona sua carreira de sucesso e se torna monge beneditino. A segunda, de um bem-sucedido homem de negócios que chega a uma triste conclusão: fracassou como pai, marido e empresário. Decidido a mudar a sua vida, ele decide fazer um retiro espiritual no mosteiro onde o famoso empresário vive como monge. Lá, aprende os ensinamentos fundamentais do que o monge chama de “princípios da verdadeira liderança”.

O grande mote do livro é que a verdadeira liderança não vem do velho e bom poder. Sua fonte é a autoridade conquistada através da dedicação, do respeito, do amor verdadeiro e da responsabilidade com a sua equipe de colaboradores. É o que chamo de “real empatia”. Ela é necessária para aqueles que desejam imprimir um pouco de humanidade em suas relações e, assim, obter diferencial competitivo.

Confira também: Medicina veterinária na web: dicas de planejamento

Em um primeiro momento, confesso que me vi perdido, sem saber como começar a falar sobre esse tema para o universo da medicina veterinária. Precisamos cair na real. Essa conversa sobre liderança, sobre como estar à frente de nossas equipes de trabalho, é algo ainda muito distante de nossa formação acadêmica. Essa realidade se apresenta na rotina do médico veterinário de forma mais presente do que podemos imaginar.

O papel da equipe na satisfação do cliente

Quantos dos colegas não começam o dia dando bom dia a suas secretarias, atendentes, vendedores e auxiliares de serviços veterinários? Sem falar nos profissionais de higiene e estética animal que prestam serviços nos seus estabelecimentos.

Gostaria de lembrar a todos os profissionais da medicina veterinária de que estamos inseridos em um segmento chamado “prestação de serviços”. Um dos pilares para o sucesso nesse segmento é a superação das expectativas dos consumidores de nossos serviços.

Sintonia entre equipe é fundamental

A sintonia entre o médico veterinário e sua equipe é fundamental para a satisfação do cliente.

Ao mesmo tempo, convém lembrar que os consumidores de nossos serviços os avaliam através de um somatório de informações. E os dados são coletados durante a toda a execução do serviço (uma consulta, uma tosa higiênica ou uma simples venda no balcão, por exemplo). Essa avaliação não depende somente de você, doutor(a)!

A linha de frente do serviço médico veterinário

Na grande maioria das situações, sua resolução clínica para o caso que você está atendendo é seu maior desafio profissional. Mas lembre-se: até chegar a você, seu cliente passou por uma série de experiências muito pessoais. Por exemplo, ele deve ter sido atendido por sua secretária. É o que eu costumo chamar de linha de frente do serviço médico veterinário.

Agora começamos a entender a importância das pessoas que estão em nosso dia a dia profissional, não é mesmo? Mas será que o ponto mais importante deste artigo seria apenas o reconhecimento do papel que nossas equipes têm em nossos negócios?

Antes de chegar até o veterinário, cliente conversa com secretária

Antes de chegar ao atendimento veterinário, seu cliente provavelmente conversa com sua secretária.

Muitos podem perguntar por que não uso o termo “colaboradores”, tão comum em revistas que falam sobre este assunto. Por uma simples razão. O médico veterinário, de maneira geral, ainda não consegue sequer visualizar a importância das equipes de trabalho. Estamos muito longe de entendê-los como colaboradores.

A realidade é que, em nosso próprio processo de formação como profissionais, sequer somos alertados sobre as funções gerenciais que farão parte da nossa rotina. Sequer é lembrado que desenvolver as habilidades de relacionamento interpessoal e gerenciamento deverá ser um exercício diário de autoconhecimento.

Compreendendo a realidade do seu time

Quero, ainda, tocar em um ponto que pode parecer nevrálgico e causar certo incômodo a alguns profissionais. Trata-se da postura de estar em um pedestal branco, um Olimpo profissional, construído sob o véu do pseudotítulo de doutor. Tal postura esconde muitas fraquezas institucionais e muitas mazelas pessoais. Cada caso é um caso, e não vamos aqui inaugurar um divã, muito menos uma caça às bruxas. Entretanto, é notório que esse distanciamento nos faz pensar em segregação.

O veterinário deve focar em relacionamento interpessoal

Médico Veterinário deve compreender a realidade de sua equipe e trabalhar seus relacionamentos interpessoais.

Se pudéssemos fazer uma grande pesquisa nacional e rastrear a origem familiar de grande parte dos médicos veterinários deste país, veríamos que a grande maioria vem da classe média. São estruturas familiares que os permitiram ter acesso à universidade. Agora, e nossas equipes de trabalho? Qual seria a origem da grande maioria deles em uma análise socioeconômica? Preciso responder? Classes menos favorecidas!

Anteriormente, falamos em desenvolver habilidades de relacionamento interpessoal. O grande desafio é aprender a se comunicar, a desenvolver uma linguagem adequada e evitar ao máximo os ruídos nas mensagens entre você e sua equipe de trabalho. Mas como fazer isso?

Você é muito mais do que um chefe

Entendendo todas as nuances dessas diferenças socioculturais e sabendo que o papel do veterinário vai muito além de ser apenas um chefe. Mas creio que o mais importante nesse estágio é você se ver, se reconhecer, estar disposto a conhecer a sua equipe de forma verdadeira. Essa é a base do ensinamento explicado no livro citado acima.

Isso não é fácil. Não existe uma receita mágica, pois o processo é único, às vezes muito particular. Você precisa primeiro se conhecer e se classificar quanto ao seu estilo de relacionamento com sua equipe de trabalho. Somente então, pense em se classificar como um tipo de líder.

Desenvolver a liderança é muito importante para que possamos profissionalizar nossos negócios veterinários, mas é principalmente a chance de melhorarmos como pessoas. Muitas vezes esquecemos disso em horas a fio de plantão, principalmente debaixo de um uniforme branco tão intimidador em certas ocasiões.

Read More...

Empresas Pet, Gestão de Empresas, Marketing Digital

Medicina veterinária na web: dicas de planejamento

Com o advento da internet no cotidiano da sociedade, vivemos uma época em que o real e o virtual entram em conflito diariamente. Em função dessa situação, ora negativa, ora positiva, os profissionais da medicina veterinária devem estar atentos às tendências.

Algo que considero muito importante é o conceito de exposição de imagem por parte das instituições, profissionais, estabelecimentos e marcas. O mundo virtual é o reflexo e a extensão da realidade física de cada empresa, porém, com alguns pontos diferenciais importantes:

Alcance

Não existem limites geográficos para a imagem da sua clínica ou serviço especializado. Dentro da sua estratégia de promoção, você pode atingir qualquer cliente em potencial. Porém, esteja atento para que os esforços direcionados sejam realmente adequados às suas limitações de atendimento. Haverá um número maior de pessoas interessadas em saber quem é você, o que você pode oferecer para os animais delas e como é o seu mix de produtos disponíveis.

Leia também: Como melhorar a gestão de sua clínica veterinária

Segurança

Para os que se interessarem no universo do e-commerce, é importante contar com uma plataforma que garanta a tranquilidade dos clientes. As pessoas buscam segurança em suas transações eletrônicas e não querem ter os problemas causados por hackers e sites vulneráveis.

Logística

Atuar no universo virtual exige planejamento e investimento em logística, pense muito bem na oferta, entrega dos produtos e na prestação de serviços. Isso é necessário para que prazos e compromissos sejam honrados. Desde a compra de produtos para animais de estimação até o agendamento de um atendimento domiciliar via web, tudo deve ser estudado previamente. Dessa forma, é possível conhecer, com segurança, sua capacidade de entrega e a viabilidade de cada procedimento.

Profissionais da medicina veterinária têm muitas oportunidades de negócios na internet

Responsividade

Nada é pior na internet do que falta de atendimento ou demora na hora de responder as solicitações. O cliente que está na web espera conectividade em seu maior grau, essa é a característica básica do ambiente virtual. Não responder ao seu cliente e às suas demandas é prejudicar a imagem da empresa como um todo.

Tempo

O tempo é uma grandeza que foi completamente modificada no universo virtual. Na web, não há começo, meio e fim. A informação, a conectividade, a interação, o questionamento, a exposição e a visibilidade acontecem 24 horas por dia. Isso demanda um complexo planejamento para que você seja capaz de atender a todas estas demandas, em um espaço de tempo menor do que no ambiente offline.

Medicina veterinária na internet

Uma última dica para todos os colegas veterinários que usam a internet para promover suas carreiras e estabelecimentos: lembrem-se, sempre, de que a interface web é apenas a extensão de seu mundo real. Cuidado com exposições e comentários que possam ferir a ética profissional, com discussões acaloradas com clientes e com posturas de imprudência, imperícia e negligência técnica.

Consultas on-line são uma afronta ao exercício da medicina veterinária. Existe uma tênue linha entre a orientação em um site de animais de estimação, em seções como “Pergunte ao Dr. Vet”, e a consulta propriamente dita. Como abrir mão do diagnóstico, do exame físico, da anamnese presencial?

Quando vocês lerem em alguma revista ou periódico a frase “ não existem limites no ambiente virtual”, tenham senso crítico. Eles existem, sim, mas devem ser melhor gerenciados. E acredite, o mundo virtual abre muitas portas no mundo real, desde que você pratique os cuidados citados aqui. Muitas oportunidade podem surgir. Por exemplo, como vocês acham que estou aqui escrevendo para o blog da Adorável Criatura? Pense nisso…

Read More...

Empresas Pet, Gestão de Empresas

Mercado Pet: na mídia mais uma vez!

Como em um movimento ritmado típico das marés, vejo o vai e vem do mercado pet como a bola da vez da mídia dita não especializada. Esse setor da imprensa é composto por veículos que não necessariamente são revistas, blogs, sites e jornais cujos focos sejam unicamente o mercado pet.

O eldorado dos investimentos, o surgimento de um novo mercado… Promessas de lucro fácil, de retorno rápido de investimentos, de novos consumidores e formatos de negócio… Tudo isso e muito mais!

Mas, e nós, que estamos 24 horas dentro do mercado pet? O que devemos achar dessa cobertura da mídia não especializada? Como devemos entender o interesse que, volta e meia, surge em relação ao nosso segmento? Mais do que isso, como podemos aproveitar essa exposição?

O ponto primordial é saber andar com os pés no chão. Conhecendo cada nuance do mercado onde estamos inseridos, saberemos onde estamos pisando. Dessa forma, poderemos dar passos firmes rumo a oportunidades que podem não estar claras no meio de nossa rotina diária.

Entender quem são os personagens desse mercado pet e saber como interagir ética e legalmente é o caminho mais curto rumo ao sucesso e à sustentabilidade de nossos negócios.

Tosadores, banhistas, lojistas, vendedores, gerentes, veterinários, passeadores, adestradores e todas as equipes de apoio de lojas e clínicas veterinárias são os personagens que atuam do lado da oferta de serviços.

Proprietários de animais de estimação estão na outra ponta. Com seus desejos e demandas por produtos e serviços que atendam suas necessidades e as de seus pets, essas pessoas geram a demanda de serviços.

Indústria e distribuidores ocupam, por sua vez, a posição dos personagens de intermediação, ao fornecer os produtos que comporão a oferta a ser entregue para suprir a demanda, cada dia mais especializada.

Você conhece seu próprio negócio?

Outra tarefa muito importante é buscar exercer um olhar profundo na estrutura de cada negócio, para que você possa:

  • Conhecer seus limites operacionais e técnicos
  • Você pode oferecer um serviço veterinário por exemplo? Seu imóvel tem condições de ter mais setores com mais produtos ou você terá que pensar em alugar um espaço maior?
  • Verificar as relações com a indústria e com seus distribuidores.
  • A relação ganha-ganha é a única que pode dar certo e garantir que ambas as partes tenham um crescimento sustentável. Parceria é fundamental.
  • Verificar quais processos você precisa melhorar.
  • Um bom exemplo, nesse caso, é o treinamento em atendimento ao cliente.
  • Rever suas políticas de custos de uma maneira ampla
  • Estamos em tempos da tão falada crise, ainda que ela não pareça afetar o mercado pet, de acordo com as mídias especializada e não especializada.

Como usar essa exposição do Mercado Pet, então?

Promova! Promova! Promova!

Ou seja…apareça! Na tempestade, quem aparece é o farol, que sinaliza, e não o rochedo, que permanece na escuridão. Lembre-se disso!

Use sua equipe técnica como um diferencial competitivo e mostre como você e seu time se preocupam com o bem-estar dos animais. Deixe claro que, na sua empresa, os clientes encontrarão profissionais capacitados e instalações adequadas, confortáveis e, principalmente, seguras.

Cultive a sua marca

Esteja em constante contato com seu público, oferecendo as melhores vantagens aos melhores clientes e estimulando que todos atinjam um patamar diferenciado nessa relação comercial.

Resgate a confiabilidade ao estreitar relações humanas dentro de sua empresa, seja com seus funcionários, seja com seus fornecedores, seja, principalmente, com seus clientes. Negócios são feitos entre empresas, mas as decisões são tomadas por pessoas, ok?

Crie peças promocionais que usem o apelo emocional, envolvendo a presença do amor existente na relação entre homem e animal. Dessa forma, a aceitação será maior. No fundo, esse tipo de proposta representa o que esse aumento de faturamento traduz, no fim das contas: um aumento do consumo baseado na decisão de mais e mais pessoas de se dedicar a esse amor, a esse tipo de relacionamento.

E então, como você pretende fazer parte dessa notícia? Vamos trabalhar?

Você sabe como melhorar a gestão de sua clínica veterinária? Clique aqui e veja meu último artigo.

Read More...