Diário Vira-Lata

Diário Vira-Lata: Conheça a Thaíla

  • 1/4
  • TJ lindo, também já adotado.2/4
  • Essa é a Pimenta, já adotada!3/4
  • Essa bull mesticinha foi lá pra casa para ser cuidada e acabou ficando comigo pra sempre! :)4/4

Hoje viemos apresentar pra vocês a nova categoria do blog da Adorável Criatura: o “Diário Vira-Lata”. E para isso precisamos explicar como tudo começou…

E quando tudo começou?

Sinceramente? Não sei quando tudo começou… rsrs Na verdade, acho que não começou, sempre foi…

Na minha casa, tive a oportunidade de vivenciar, desde bebê, o respeito e cuidado aos animais, com os melhores exemplos que uma pessoa pode ter: os pais.

Quando minha mãe estava grávida de mim, meu pai encontrou uma cadela da raça pastor alemão, atropelada na estrada, sem pensar nem meio segundo, parou o carro e levou-a para casa. Assim são os protetores: eles agem, tiram os animais do risco e depois pensam no que vai dar!

Quando eu era criança, ajudei minha prima a resgatar uma cadelinha, filhote de virinha, cheia de sarna. Levamos a Princesa à clínica veterinária onde tomou vacina e remédio (a conta ficou pendurada, claro! Nem sabíamos que tínhamos que pagar por isso) e, escondido dos meus tios, ela foi sendo cuidada. Mesmo com toda a discrição que eu imagino que tivemos, fomos descobertas, mas a “Prin” teve sorte, já quase curada, encantou a todos e daquela casa nunca mais saiu. Acredito que ela tenha sido meu primeiro resgate!

Frente a toda essa base familiar, não estava preparada, quando minha vizinha, que olhou um filhote de pardal aninhado em minhas mãos, enquanto eu tentava uma consulta com o veterinário, disse que era perda de tempo, que eu deveria deixá-lo morrer, afinal, era um pardal. Nesse dia, eu descobri que algumas vidas valem mais que outras… Passei grande parte da minha adolescência cuidando de passarinhos. Vítimas de chuvas fortes, ventania, queda do ninho ou ataques de cães/gatos, minha programação familiar de final de semana era ir soltar as pobres criaturinhas resgatadas ao longo da semana.

E, então, provavelmente, naquele momento, nasceu a pessoa que, mesmo em ações pequenas, faria o possível para ajudar qualquer animal. Dali em diante seria a pessoa que seca gelo, mas que dorme tranquila sabendo que fez o bem e mudou a vida de algum animal!

Acompanhem o Diário Vira-lata

Não percam os próximos posts da categoria “Diário Vira-Lata” (sim, depois do pardal muitos outros bichinhos passaram por aqui!!), acompanhando cada detalhe, desde o momento do resgate, até a hora da adoção, passando por todos os desafios e vitórias. É emocionante, tenho certeza que vocês irão curtir! Melhor ainda é saber que agora poderei compartilhar essas histórias com vocês. Tenho certeza que teremos trocas de experiências muito especiais! Afinal, o que seriamos de nós sem esses seres tão especiais ao nosso lado? 😉

Abraços e até os próximos posts! 🙂

You Might Also Like